8 Fatores de Risco Para a Dor Nas Costas | Osteopatia

A dor nas costas já é considerada uma das maiores queixas nos consultórios médicos. Em muitos casos, essa dor chega a limitar a qualidade de vida do paciente, comprometendo desde as actividades simples do dia a dia até as suas funções laborais.

O aparecimento de dor nas costas pode estar relacionado a doenças graves na coluna e a dor também pode ser acompanhada por outros sintomas, dependendo do quadro do paciente e do diagnóstico do problema. Há outros casos, porém, que a dor nas costas é mais leve, surgindo e desaparecendo espontaneamente, o que pode acontecer quando se realiza um esforço maior levantando algo pesado, por exemplo.

Todavia, a dor nas costas pode ter muitas causas diferentes e nunca pode ser ignorada ou auto-medicada. Listamos, a seguir, oito grandes factores de risco para o seu surgimento. Acompanhe:

1. O sedentarismo: você não costuma praticar exercícios físicos com regularidade? Saiba que o nível de condição física influencia bastante na ocorrência de dor nas costas. Pessoas que não se exercitam com frequência, adoptando comportamentos mais sedentários em suas rotinas, estão bem mais susceptíveis à dor nas costas. Isso acontece porque a ausência de actividades que fortaleçam os músculos de sustentação da coluna implica em menor resistência aos impactos ou sobrecarga, por exemplo, que a coluna sofre comummente. Daí a importância de incluir no dia a dia a prática de uma actividade física que contribua para o fortalecimento da coluna vertebral.

2. Excesso de Carga: como em tudo na vida é preciso encontrar um equilíbrio de forma a manter o corpo saudável. Se a ausência de exercício físico é só por si um factor de risco, pois leva a músculos e ossos fracos, o excesso de treino e sobrecarga pode provocar um desgaste excessivo dos constituintes articulares e da própria articulação óssea pondo em risco a ocorrência de tendinites, ruturas musculares e artroses. Faça exercício moderado, cargas adequadas à sua condição física e alongamentos. Você não é atleta de alta competição, por isso não exagere e a única medalha que deve querer ganhar é a da “Eu Sou Saudável“.

3. Evite modalidades como o CrossFit:

  • Intensidade dos exercícios

Comprovou-se uma correlação positiva entre a prática e o aumento de lesões (face a outras actividades desportivas menos intensas). Isto deve-se principalmente ao entusiasmo dos iniciantes quando colocam cargas demasiado elevadas.

  • Em determinados locais de treino

Vê-se uma tendência não só para exagerar na dose, como também para menosprezar a construção de uma base sólida de padrões de movimento funcionais, onde aspetos como o controle motor, estabilidade e mobilidade estão a ser descurados.

  • Se a forma de execução não for correta

O CrossFit poderá levar a inúmeras lesões. Garanta sempre a postura e forma corretas.

  • Se não está habituado a treinar

Não exagere nas cargas inicialmente: aconselhe-se com um profissional.
Cargas elevadas no Crossfit são muito comuns, porém, e aliado ao bombeamento do sangue para diferentes partes do corpo em simultâneo leva com frequência os iniciantes a vómitos, náuseas, tonturas e desmaios.

  • A rabdomiolise

A libertação de células musculares para a corrente sanguínea, é uma lesão grave e pouco comum, que traz problemas a nível renal como a insuficiência renal, pode acontecer com a prática do Crossfit.

  • Tendência a cair em exagero de cargas.

Acredite, nem tudo o que está na moda é bom!

4. O envelhecimento: não tem como escapar. É mais natural que com o envelhecimento a dor nas costas seja mais recorrente. Mas isso não significa dizer que precisamos nos entregar à dor com o avanço da idade. O hábito de cuidar bem da coluna desde a juventude, com exercícios de fortalecimento da musculatura de sustentação da região e com a adopção de uma postura correta em todas as actividades do dia a dia, ajuda bastante na condição do paciente na velhice.

5. O tabagismo: estudos comprovam que o hábito de fumar eleva o desenvolvimento de dor nas costas, principalmente em pessoas que sofreram alguma lesão na região e ainda prejudica a boa recuperação de pacientes que passaram por cirurgias na coluna.

6. A má alimentação: uma dieta bem selecionada é fundamental na busca por um bom condicionamento físico, juntamente com a prática regular de exercícios. A falta de uma alimentação saudável contribui para o excesso de peso, o que tende a submeter a coluna a um maior índice de stresse e, consequentemente, às dores na região.

7. A má postura: os cuidados com a postura não remetem somente à estética, a boa postura é imprescindível para evitar a dor nas costas. Se você não se posiciona correctamente nas actividades simples do dia a dia, no trabalho, ao sentar e ao deitar, por exemplo, mais cedo ou mais tarde a sua coluna será bastante afetada pelo mau hábito.

8. Stress: você pode fazer exercício físico e alongamentos que são dois aspectos muito importantes para ter uma coluna resistente e flexível, mas se você for uma pessoa muito stressada, nervosa e muito ansiosa, acredite que mesmo sem querer seus músculos irão contrair inconscientemente e com essa contração e aperto muscular mantidos por tantos anos, mais cedo ou mais tarde as dores articulares da coluna vertebral irão com certeza se manifestar. Aprenda a relaxar essa mente naturalmente (sem recorrer a químicos).

Se Gostou Deste Artigo Compartilhe!

Marcações & Contactos

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0