Osteopatia vs. Kickboxing

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Paciente: Bom dia Dr. Nuno. Tenho uma dúvida para tirar consigo Dr. Nuno, sabe bem qual o problema que tenho nas costas. À cerca de um mês comecei a treinar com um vizinho que dá aulas de Kickboxing. São duas vezes por semana, e tenho-me sentido bem, mas na semana passada, vim para casa com uma ligeira dor no pescoço (na cervical) que ainda não passou. Hoje está um pouco pior porque ontem passei o dia todo a dançar sem ter aquecido primeiro A questão é: posso fazer kickboxing!? É só para manutenção física e não para competir, mas pergunto isto porque o Dr. poder-me-ia aconselhar melhor.

Resposta: As suas costas, precisam de correção de 7 milímetros, não se esqueça, que a sua perna direita é mais curta 7 milímetros. E quando se começa a treinar, com esta diferença, há maior probabilidade de desalinhamentos vertebrais em qualquer parte da coluna. Sempre fui apologista de desporto e atividade física em geral, e não estou a dizer que o Kickboxing seja prejudicial, mas de momento não será a melhor opção. É um desporto que implica andar sempre aos pulinhos para trás, frente e para os lados.

Se tivesse as palmilhas, a força de impacto dos pulos seria bem distribuída por toda a arquitetura esquelética, o que de momento não acontece. E para resguardar a defesa tem elevar os ombros e de estar sempre com as mãos ao nível da cabeça, de forma a evitar ataques do adversário. Isso implica uma osteopatia kickboxingcontração constante dos músculos trapézios, que se inserem ao nível da base do crânio, vertebras cervicais e dorsais, até ao ombro (omoplata). Esta contração permanente nestes músculos, aliado aos pulos, ao desnível da bacia de 7 milímetros e sem a devida compensação pelas palmilhas, podem resultar por esta combinação de fatores, nas dores que agora apresenta no pescoço.

Não estou surpreendido que tenha acontecido. Poderia não ter acontecido, mas a probabilidade era mínima, pois existem assimetrias de forças devido ao desalinhamento. Se as dores ainda não passaram, podemos estar na presença de várias situações. Ou o esforço provocou uma contração maior nas fibras, originando contratura cervical ou o agravamento de contratura já residente, ou pode ter uma vertebra cervical desalinhada, ou as duas em simultâneo.

O corpo por si só não vai fazer o alinhamento da vértebra (em caso de desalinhamento) nem eliminar a contratura. Ele compensa algumas disfunções através das contrações. Mas quando já não consegue compensar mais, as dores aparecem. Se pode fazer o Kickboxing? Pode, depois de se tratar. Porque assim, corre o risco dos músculos continuarem a contrair cada vez mais. Estarei sempre à sua disponibilidade

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone