Inflamação e Dor Articular e Sua Relação Com Os Alimentos

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Será Que os Alimentos Que Você Come Estão a Provocar-lhe Dor?

Uma dieta anti-inflamatória pode ser a solução para se sentir melhor.

Quando eu refiro a palavra “inflamação”, é provável que evoque pensamentos de dor nas articulações e músculos, inchaço e perda de mobilidade. Mas você sabia que a pesquisa recente mostra que a inflamação crónica no nosso corpo pode levar a doenças graves, como diabetes, doenças cardíacas, alguns tipos de cancro e doença de Alzheimer, para citar apenas alguns?

A quantidade de inflamação no corpo varia e depende de uma série de fatores – incluindo o seu nível de atividade, a quantidade de sono, o grau de stresse em sua vida, e mesmo os alimentos que você come. O que você tem de perceber é que estes fatores são cumulativos – o que significa que se vão acumulando ao longo do tempo. E quanto mais um destes fatores, ou todos eles ficarem desalinhados, o risco de doença aumenta.

No início da vida, estes níveis podem ser tão baixos que você pode até não estar ciente de que tem alguma inflamação no seu corpo. Isso porque os nossos corpos fazem um trabalho bastante decente no controlo da inflamação – pelo menos por algum tempo. Então um dia você acorda e você está nos seus 40s e percebe simplesmente que algo já não está bem. Aqui é quando o medo começa a aparecer, e você pensa consigo mesmo: O que eu fiz de errado? ou O que posso fazer agora para me ajudar?

O primeiro passo é fazer o teste dos níveis da proteína-C reactiva. A proteína C-reactiva é produzida pelo fígado, e o nível de PCR aumenta quando existe inflamação sistémica no corpo. Pergunte ao seu médico sobre isso (você pode ter que exigir-lhe este teste). Tudo o que requer é uma amostra de sangue para poder então ser avaliado pelo seu médico. E porque a dieta pode desempenhar um papel muito importante em quanto ou quão pouco você tem inflamação, pode querer depois que estes níveis sejam vistos por um nutricionista que possa ajudá-lo a formular um plano alimentar adequado.

Se você tiver dor devido à inflamação, você pode optar por tomar o caminho da medicina tradicional, que inclui drogas c reativaanti-inflamatórias não esteróides (AINE), esteróides, e até mesmo uma cirurgia de substituição articular em casos extremos. A boa notícia é que existem maneiras naturais para combater a inflamação sem os efeitos colaterais indesejáveis que muitas vezes resultam dos tratamentos indicados acima.

O que você come faz toda a diferença

Os alimentos que consumimos são uma peça fundamental do quebra-cabeça quando se trata de controlar a inflamação. A nossa dieta típica consiste de muita gordura, bastante açúcar, grande quantidade de carne vermelha, e uma quantidade assustadora de alimentos processados – todos os quais são susceptíveis de aumentar a inflamação e contribuir para a obesidade, que em si pode causar inflamação. Ao mudar para um plano de dieta anti-inflamatória que consiste em alimentos integrais saudáveis, você pode realmente diminuir a inflamação e aliviar a dor e o desconforto associado.

O primeiro passo é evitar alimentos processados, alimentos ricos em açúcar e fast-food sempre que possível. Em vez disso, escolha alimentos frescos e integrais, especialmente variedades anti-inflamatórias, tais como proteínas magras, frutas e vegetais. Mas escolha com cuidado. Muitos vegetais e alimentos pré-embalados “ditos saudáveis” podem prejudica-lo seriamente. Use esta lista acessível dos melhores e piores alimentos para controlar a inflamação:

Alimentos anti-inflamatórios

– Salmão do Alasca (selvagem)
– Frutas orgânicas frescas, vegetais
– vegetais multicoloridos
– chá verde
– água (filtrada)
– Azeite
– Nozes, legumes e sementes
– Verduras de folhas verdes escuras
– Especiarias, especialmente curcuma e gengibre

verdesAlimentos inflamatórios

– O açúcar, a partir de qualquer fonte
– Alimentos processados
– Batatas Fritas
– Fast Foods
– Pão branco
– Macarrão – Massas
– Gelado – Sorvete
– Queijos
– Óleos, tais como óleos vegetais e de milho
– Refrigerantes, cafeína e álcool

Além destas mudanças na dieta também é recomendado que você:

* Mantenha um peso saudável – Não há dúvida de que uma alimentação saudável não é fácil hoje em dia, quer você esteja em casa ou num restaurante. Mas, pelo menos, você deve tentar diminuir a ingestão de açúcares e óleos hidrogenados e aumentar a sua ingestão diária de fibras. Idealmente, você deve consumir 35 gramas de fibra.

* Obter um melhor sono – 7-9 horas de sono é uma necessidade para uma ótima saúde; obtenção de uma boa noite de sono é fundamental para controlar a inflamação sistêmica.

* Relaxe com mais frequência para diminuir os níveis de stresse – Encontre tempo para si mesmo ao longo do dia para se concentrar na sua respiração e limpar a desordem de sua mente; aprenda a manter o foco nas tarefas mais importantes em sua vida.

* Faça exercício físico regularmente – As pessoas perguntam-me: Qual é o melhor exercício para fazer? Eu respondo: Faça algo que você goste de fazer e, se o seu corpo pode tolerar isso, faça-o pelo menos 30 minutos, três vezes por semana.

* Peça para testar os níveis de PCR (proteína-C reactiva) – Este simples exame de sangue é o melhor indicador da quantidade de inflamação sistêmica no seu corpo. Tenha depois estes níveis avaliados por um profissional de saúde certificado, que lhe possa dar garantias e sugerir a ação mais apropriada.

Se Gostou Partilhe Este Artigo

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone